quarta-feira, 6 de abril de 2011

Assistência Social lança o programa "Família Carioca em Casa"

Repassando...
_____________________
Assistentes sociais farão visitas domiciliares á população mais pobre do Rio para identificar e atender às necessidades dessas famílias


30/03/2011


O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Assistência Social, Rodrigo Bethlem, lançaram na manhã desta quarta-feira, dia 30, no Palácio da Cidade, em Botafogo, o programa 'Família Carioca em Casa'. A iniciativa vai oferecer um atendimento social residencial a 98 mil famílias, cerca de 422 mil pessoas, que já recebem o benefício do Cartão Família Carioca, programa de transferência de renda da Prefeitura do Rio.

O 'Família Carioca em Casa' vai identificar e atender às necessidades sociais dos moradores de diferentes regiões da cidade. As visitas domiciliares serão realizadas semestralmente por funcionários dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e das Coordenadorias de Assistência Social (CAS) para diagnosticar se a família está em situação de risco social (como por exemplo, desemprego, problemas de moradias, saúde, entre outros) e encaminhá-la para atendimento em um dos órgãos que integram a rede socioassistencial da Prefeitura. Também será realizado um mapeamento do território atendido, para auxiliar no desenho de políticas sociais mais eficientes e com maior impacto na vida dessas pessoas.

O prefeito Eduardo Paes falou da importância dessa iniciativa da Prefeitura:

Foto: Beth Santos- Esse programa vai possibilitar a transformação na vida dessas pessoas. Essas famílias precisam de ajuda e de atenção especial. E junto com o que a Prefeitura já vem fazendo na área da saúde, vamos entrar nas casas dessas famílias e identificar de que maneira podemos ajudar. O país hoje cresce e o Rio de Janeiro tem colaborado e ainda tem servido de exemplo. O Rio vive um momento especial, de oportunidades e elas devem chegar a quem mais precisa e, no final, estaremos melhorando a vida não só daquelas pessoas, mas a de todos - afirmou.

Durante a solenidade o prefeito assinou o decreto que cria o Comitê Integrado de Gestão Governamental de Desenvolvimento Inclusivo e Erradicação da Pobreza Extrema do Poder Executivo Municipal do Rio de Janeiro. O comitê será composto pelas secretarias municipais de Assistência Social, Educação, Saúde, Trabalho e Emprego, Desenvolvimento Econômico e Solidário, Conservação, Habitação, Pessoa com Deficiência, Esportes e Lazer, Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, e pelo Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP).

O secretário Rodrigo Bethlem destacou que o programa terá início no próximo dia 12 de abril e o investimento anual será de R$ 19 milhões. Cerca de 540 profissionais estarão envolvidos no projeto:

Foto: Beth Santos- Nós entendemos que dar o benefício foi o primeiro passo. Nós vamos agora é acompanhar e visitar as 98 mil famílias, pelo menos, duas vezes por ano, para fazer o diagnóstico e buscar a solução. Por exemplo, vamos encaminhar aquele chefe de família que está desempregado e sem qualificação profissional para a Secretaria de Trabalho e Emprego, para que ele possa ser inserido no mercado de trabalho. Nosso objetivo é resolver estruturalmente os problemas da família para que possamos retirá-la da pobreza - explicou, informando que 80% das famílias estão concentradas nas áreas de planejamento AP3 (38.738) e AP5 (39.762), que incluem a Central, Leopoldina e Ilha do Governador e a Zona Oeste.

Lançado pela Prefeitura do Rio, em dezembro de 2010, o Cartão Família Carioca concede um benefício mensal às famílias, entre R$ 20 e R$ 400, com o objetivo de retirar da linha da pobreza indivíduos que vivem com menos de R$ 108 reais por mês. O programa usa a mesma base cadastral do Bolsa Família no Rio, programa do Governo Federal. Para garantir o auxílio, é exigido que as crianças de cada família mantenham frequência mínima de 90% das aulas, além da participação de pelo menos um dos responsáveis nas reuniões escolares. Aqueles que apresentarem melhoria no rendimento dos estudos ainda recebem uma bonificação de R$ 50.

Os secretários municipais Claudia Costin (Educação), Augusto Ribeiro (Trabalho e Emprego), Eduarda La Roque (Fazenda), o presidente do Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos (IPP), Ricardo Henriques, e o representante do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas, Marcelo Néris, também participaram da cerimônia de lançamento do programa.
_____________________


Será?!


Nenhum comentário:

Postar um comentário