segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Campanha “Mulheres e Direitos” convoca sociedade e poder público para o fim da violência e promoção da igualdade de gênero

                                         Iniciativa será lançada nesta sexta-feira (5/8), no Rio de Janeiro, nas presenças de Maria da Penha, da ministra Luiza Bairros (Igualdade Racial) e da Subsecretária de Enfrentamento da Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves (Políticas para as Mulheres). Com peças enfocadas em homens, mulheres em situação de violência e populações do Norte e Nordeste do Brasil, a campanha valoriza a contribuição da Lei Maria da Penha e da rede de serviços de atendimento às mulheres em situação de violência


Às vésperas dos cinco anos de criação da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), as Nações Unidas, no âmbito da Equipe Conjunta sobre Aids, o Instituto Maria da Penha e parceiros lançam nesta sexta-feira (5/8), às 10h30, no Rio de Janeiro, a campanha “Mulheres e Direitos”.  O ato terá as presenças de Maria da Penha Maia Fernandes, cuja história de sobrevivência impulsionou a criação da lei; da ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros; da subsecretária de Enfrentamento da Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves; da Deputada Federal Jandira Feghali; do coordenador residente das Nações Unidas no Brasil, Jorge Chediek; do coordenador do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil, Pedro Chequer; do representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Harold Robinson; da coordenadora de Programas da ONU Mulheres - Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, Júnia Puglia; das atrizes e atores da campanha; e representantes da sociedade civil, entre outras autoridades.

Ao mesmo tempo em que sensibiliza a população brasileira para a redução da violência e a promoção da igualdade de gênero e saúde da mulher, a campanha “Mulheres e Direitos” valoriza a contribuição da Lei Maria da Penha e da rede de serviços de atendimento às mulheres em situação de violência no Brasil, a exemplo da Central 180, delegacias especializadas, casas-abrigo, juizados, varas criminais, núcleos e centros de atendimento, entre outros.

Por meio de três filmes, a campanha “Mulheres e Direitos” enfoca os seguintes públicos: homens, mulheres em situação de violência e populações do Norte e Nordeste do país.

Um caso emblemático no mundo
Todas as peças da campanha “Mulheres e Direitos” são estreladas pela biofarmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes, que foi agredida pelo seu ex-marido por seis anos e alvo de duas tentativas de assassinato: uma por tiros, que a deixaram paraplégica, e a outra por eletrocução e afogamento.  Sobrevivente e em busca dos seus direitos, Maria da Penha obteve apoio dos movimentos de mulheres e encaminhou o seu caso à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA). Entre as recomendações da OEA, em 2001, estavam a criação de uma lei para prevenção, punição e eliminação da violência contra as mulheres e a indenização de Maria da Penha, que de fato se concretizou sete anos após a sugestão da OEA e 25 anos após às tentativas de assassinato.

Segundo pesquisas da ONU, uma em cada três mulheres será vítima de violência ao longo da sua vida. A eliminação da violência é uma das prioridades do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, reforçada pela campanha “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres” que, até 2015, pretende mobilizar diferentes públicos, entre eles homens líderes, juventude, comunidades não-tradicionais e mídia.

Inovação na linguagem
O primeiro filme da campanha “Mulheres e Direitos” é dirigido aos homens. Os atores Milton Gonçalves e Bernardo Mesquita e o dançarino Carlinhos de Jesus convocam o público masculino a acabar com a violência contra as mulheres. A peça considera os novos dados sobre violência contra as mulheres, divulgados em 2010 pela Fundação Perseu Abramo, de que um em cada quatro homens sabe de algum parente próximo que já bateu na mulher e de que quase metade dos homens tem algum amigo ou conhecido que agride a sua esposa. No filme, os atores falam sobre o avanço das mulheres na sociedade brasileira e tomam partido pela igualdade de gênero, uma aposta no papel estratégico dos homens para a eliminação da violência.

No segundo filme, quatros mulheres – negra, indígena, branca e outra de meia idade – buscam ajuda numa delegacia especializada de atendimento à mulher. A sequência registra o momento em que as mulheres dão um basta à violência e acessam os serviços públicos. A peça evidencia que a violência contra a mulher atinge todas as mulheres, independente de raça, etnia, classe social e idade, mostrando ainda a importante funcionalidade das delegacias especializadas no atendimento às vítimas.

Na terceira peça, duas mulheres do Norte e Nordeste do país – uma negra e outra indígena – lavam roupa num rio e conversam sobre os primeiros sinais da violência, quando os homens começam a querer controlar as suas vidas. O filme foi produzido sob a inspiração das comunidades indígenas e ribeirinhas e de mulheres do Norte e Nordeste, consultadas no Plano Integrado das Nações Unidas para o estado do Amazonas, o Amazonaids, como uma ferramenta para a conscientização da população local.

Mais investimentos: políticas para as mulheres
Com uma média diária de 10 assassinatos de mulheres e 70% das agressões cometidas no ambiente doméstico, o fenômeno da violência no Brasil é um tema que traz novos desafios para o poder público e a sociedade. Entre eles estão a ampliação da rede de atendimento às mulheres em situação de violência e o aumento dos investimentos nas políticas públicas para a autonomia das mulheres.

A campanha “Mulheres e Direitos” é uma iniciativa da ONU, no âmbito da Equipe Conjunta sobre Aids e de parceiros. É liderada pelo UNAIDS – Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids; a ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres; o UNFPA – Fundo de População das Nações Unidas; o UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância; tem o apoio do UNIC Rio – Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil e  é assinada em parceria com o Instituto Maria da Penha. Os filmes foram produzidos pela Documenta Filmes, tendo direção de Angela Zoé e coordenação da [X] Brasil Publicidade em Causas/Daniel de Souza. A marca original da campanha, criada com base em conceitos estabelecidos pela ONU, é assinada pelo designer Jair de Souza.

Lançamento da campanha “Mulheres e Direitos”
Data: 5 de agosto de 2011 (sexta-feira)
Horário: 10h30
Local: Palácio Itamaraty (Av. Marechal Floriano, 196) – Rio de Janeiro/RJ

Contatos com a imprensa:
Valéria Schilling - Assessora de Comunicação
Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio)

Emissoras interessadas em veicular os filmes da campanha “Mulheres e Direitos” podem solicitar cópias para: brazil@unaids.org

Filmes disponíveis na sexta-feira (5/8) em:




JPPS 2011/2-NETCCON.ECO.UFRJ e ANDI

2011/2-EDIÇÃO ESPECIAL de 5 ANOS
Políticas Públicas e Rio +20: 
o desafio psicopolítico de 
sincronizar linguagem e ação
Curso de Extensão, com certificado, uma realização NETCCON-Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência.Escola de Comunicação.UFRJ, em convênio com a ANDI-Comunicação e Direitos
Coordenação:
Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques
Aberto a todos os interessados, sem exigência de titulação, resulta em, certificado da UFRJ de Curso de Extensão
Gratuito, Carga Horária:
60 horas
INSCRIÇÕES ON LINE em: 
Com esta edição o NETCCON.ECO.UFRJ celebra cinco anos ininterruptos de JPPS, com o qual a pesquisa, ensino e extensão a respeito das relações entre Comunicação, Jornalismo, Design Mental e Políticas Públicas Sociais resultou na criação de uma nova perspectiva teórico-prática que avança a economia política e os estudos culturais: a perspectiva psicopolítica, hoje reconhecida internacionalmente.
Com essa orientação o JPPS passa a ser também um coletivo de exercício prático de linguagens e ferramentas voltadas para a transformação social. Se você dedica-se à reportagem, edição, fotografia, video, audio, web, produção, administração, pesquisa, arte, ou qualquer outra linguagem ou conhecimento comprometida com a ação transformadora, traga para este coletivo, por gentileza, a sua experiência prática ou o seu interesse em participar: 
“Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos”!
Observações importantes:
  1. Todos os encontros serão às segundas-feiras, das 9h30m às 13h, no Auditório da CPM-Central de Produção Multimídia.Escola de Comunicação da UFRJ, Campus da Praia Vermelha, à exceção da Visita Técnica à Nova Friburgo, que ocorrerá no final de semana de 1 a 2 de outubro, com os custos de transporte, hospedagem e alimentação pagos por cada selecionado, em torno de 150 reais. Os selecionados que não puderem ir por alguma razão escolherão um outro case para trabalhar.
  2. O curso, gratuito, tem uma taxa de material e apostila no valor de 80 reais.
  3. A sua pontualidade e assiduidade serão apreciadas.
PROGRAMA
As mesas de conversa serão coordenadas pelo Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques, coordenador do NETCCON.ECO.UFRJ e do JPPS.
 ENCONTRO
22 Ago
A perspectiva psicopolítica como avanço 
da Economia Política e dos Estudos Culturais
Conferência de 
Evandro Vieira Ouriques
A linguagem da televisão e a 
formação da pessoa na fase de criança
Depoimento de 
Úrsula Mey de Amorim Ouriques
2º ENCONTRO
29 Ago
Território Mental, linguagem e ação nas políticas 
de cidadania e segurança no Rio de Janeiro 
Mesa de Conversa com
Michel Misse 
(Coordenador do NECVU-Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana.IFCS.UFRJ)
3º ENCONTRO
05 Set
Território Mental, linguagem e ação na Comunicação Distribuída
Mesa de Conversa com
Henrique Antoun 
(Vice-coordenador do Programa de Pós-graduação.ECO.UFRJ)
4º ENCONTRO
12 Set
Linguagem e ação nas Responsabilidades Sociais
Mesa de Conversa com
Patricia Ashley 
(Cátedra Prince Claus Chair em Desenvolvimento e Equidade, Instituto Internacional de Estudos Sociais-Erasmus, Holanda)
5º ENCONTRO
19 Set
Região Serrana, Desastre Natural ou Desastre Cultural? 
a decisão no território mental entre ganância e solidariedade
Mesa de Conversa com
Cláudio Damião (presidente da CPI da Tragédia-Nova Friburgo), 
Edil Nunes (Coordenador do Fórum Sindical e Popular de Nova Friburgo), 
Sandro Scholtz (Presidente da Associação de Moradores do bairro de Córrego Dantas) 
Evandro Rocha (Associação das Rádios Públicas do Brasil-ARPUB)
6º ENCONTRO
26 Set
Linguagem e ação de Comunicação e Direitos: 10 anos de análise de mídia
Mesa de Conversa com
Veet Vivarta 
(Coordenador-executivo da ANDI-Comunicação e Direitos)
7º ENCONTRO
1 e 2 Out (sábado e domingo)
Visita Técnica à Nova Friburgo
coordenada por 
Evandro Rocha
8º ENCONTRO
3 Out
Perspectivas de ação transformadora face à linguagem única da mídia internacional
Mesa de Conversa com
Giancarlo Summa 
(Jornalista, Diretor do Centro de Informações da ONU no Brasil)
Rosa Alegria
(Vice-presidente do Núcleo de Estudos do Futuro-PUC.SP)
9º ENCONTRO
10 Out
Liberdade de expressão e controle social da mídia: o momento histórico do Brasil
Mesa de Conversa com
Marcos Dantas 
(Pesquisador da ECO.UFRJ) 
10º ENCONTRO
17 Out
Linguagem e ação nas políticas urbanas 
Mesa de Conversa com
Beatriz Jaguaribe 
(Pesquisadora Associada do PACC.FCC.UFRJ)
Mayra Jucá (Coordenadora de Projetos de Comunicação do Viva Rio, como o Viva Favela)
11º ENCONTRO
24 Out
A base corporal de uma nova política: respiração e ação transformadora
Palestra e Dinâmicas com
Estelita Oliveira de Amorim Ouriques
(Yogaterapeuta, Consultora associada do NETCCON.ECO.UFRJ)
12º ENCONTRO
31 Out
Edição Coletiva do Material
13º ENCONTRO
07 Nov
Edição Coletiva do Material
14º ENCONTRO
21 Nov
A linguagem ancestral da Capoeira, a re-construção da 
Identidade e a ação não-violenta: a experiência Brasil-Haiti 
Mesa de Conversa com
Claudel Pierre, Rosenirva Pamphile, Jean Marc Rodney e Flávio Saudade
(Projeto Gingando pela Paz-VIVA RIO-Haiti)                                                   
e com
Mãe Biata de Iemonjá e Adailto Moreira
tratando do tema
Contribuições do Território Mental Afro-brasileiro 
para a sincronia entre Linguagem e a Ação Política                                                                                                                                                                                                           
15º ENCONTRO
28 Nov
Publicação do conjunto de intervenções, avaliação e celebração
Todos os encontros terão dinâmicas biopsíquicas e interativas para a transformação do Território Mental, conduzidas pela Profa. Estelita de Amorim Ouriques

-- 
Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques
NETCCON.ECO.UFRJ
Núcleo de Estudos Transdisciplinares 
de Comunicação e Consciência
Coordenador
PACC.FCC.UFRJ
Programa Avançado de Cultura Contemporânea
Pesquisador Associado http://www.pacc.ufrj.br/pos-doutorado/equipe-2/
http://www.evandrovieiraouriques.com

Semana Pedagógica Curso Bilingue de Pedagogia


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS
DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR
CURSO BILÍNGUE DE PEDAGOGIA

IiI SEMANA PEDAGÓGiCA

EDUCAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS, PESQUISAS E PRÁTICAS DOCENTES EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIOCULTURAIS

Período: 29, 30 e 31 de agosto de 2011
Horário: de 14:00 às 21:00
Local: INES (Auditório do Instituto Nacional de Educação de Surdos e prédio do Departamento de Ensino Superior)
Público alvo: alunos/as, professores em geral, alunos e professores do Curso Bilíngue de Pedagogia, professores do CAP - INES e demais interessados em assuntos educacionais.
  

Objetivo geral


            Debater os rumos das políticas públicas, pesquisas e práticas docentes em diferentes contextos socioculturais, tendo em vista não só o contexto da educação de surdos, bem como as ações educacionais e pedagógicas de um modo geral.

Programação

LOCAL DAS MESAS REDONDAS: Auditório do INES

LOCAL DAS OFICINAS: Salas de Aula do DESU


29 DE AGOSTO

14 h às 14 h e 30 min

ABERTURA DO EVENTO

14 h e 30 min às 17 h
           
MESA REDONDA: MULTICULTURALISMO E EDUCAÇÃO INTERCULTURAL
    
OBJETIVOS

è    Debater as perspectivas atuais sobre diferentes aspectos da educação intercultural e seus desdobramentos sobre os grupos sociais denominados “minorias”;
è    Refletir sobre as instâncias de mediação cultural e seus desdobramentos educacionais;
è     Abordar aspectos referentes às relações entre multiculturalismo e a formação de professores, buscando um enfoque comparativo entre a educação de surdos e a educação de diferentes grupos minoritários;
è    Examinar as ações implementadas por educadores oriundos dos grupos chamados minoritários.

PALESTRANTES

Prof. Dr. José Maurício Paiva Andion Arruti (Educação - PUC-RJ)
Profª Dra. Ana Canen (Educação - UFRJ)
Prof. Dr. Domingos Barros Nobre (Educação - UFF)

 Mediadora: Profª Ms. Sara Moitinho da Silva (IFRJ)

  17 h

Coquetel de Abertura
Local: Pátio Interno do INES

  18 h às 21 h
          
MESA REDONDA: POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA ALUNOS SURDOS: OS IMPASSES DO PNE.

OBJETIVOS

è    Discutir políticas públicas brasileiras para a educação de surdos a partir da perspectiva da afirmação da democracia, expansão da cidadania e busca da qualidade de ensino;
è     Abordar aspectos referentes à igualdade de direitos, equidade e eficiência;
è     Examinar aspectos do Projeto de Lei para a aprovação do PNE para o decênio 2011-2020 nas suas diretrizes gerais e, em especial, as metas e estratégias  com possíveis implicações na educação de alunos surdos.

PALESTRANTES

Prof. Dr. Carlos Roberto Jamil Cury (Educação - UFMG e PUC-MG)
Profª Dra. Regina Maria de Souza (Educação - UNICAMP)
Profª Dra. Patrícia Luiza Ferreira Rezende (Letras - UFSC)

Mediadora: Profª Ms.Janete Mandelblatt (DESU-INES)


30 DE AGOSTO

14 h às 17 h

MESA REDONDA:
EXPERIÊNCIAS ESCOLARES EM DIFERENTES CONTEXTOS

OBJETIVOS

è    Permitir uma visão comparativa de diferentes contextos educacionais existentes na realidade brasileira;
è    Refletir sobre as instâncias de mediação cultural e seus desdobramentos educacionais em contextos educacionais formais e não formais;
è     Debater novos rumos e ações educacionais e pedagógicas aplicadas a diferentes sujeitos e grupos sociais;
è    Examinar as práticas educacionais e ações sociais implementadas por educadores oriundos dos grupos chamados minoritários.

PALESTRANTES

§         Educação escolar indígena
Prof. Ms. Gersem José dos Santos Luciano (Coordenação Geral de Educação Escolar       Indígena do MEC)

§         A experiência da Escola do SESC          
Profª Dra. Mônica Maria Teixeira de Souza Corbucci (História – Escola de Ensino Médio do SESC)

§         Educação em contexto rural: escolas do MST
Prof. Ms. José Guilherme Franco Gonzaga (Doutorando - UFF)

Mediadora: Profª Ms. Laila Maria Cardoso Zalfa (DESU/INES)

  17 h

 Coffee break
 Local: Pátio Interno do INES

  18 h às 21 h

MESA REDONDA:
APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS DE ALUNOS DO DESU/INES

OBJETIVOS

è     Apresentar à comunidade acadêmica aspectos da produção científica do DESU/INES;
è    Refletir sobre os interesses e temas escolhidos pelo corpo discente do Curso Bilíngue de Pedagogia no desenvolvimento de suas ações de pesquisa;
è     Debater os rumos e ações educacionais, pedagógicas e de pesquisa postas em práticas no DESU/INES.

PALESTRANTES

Alunos do DESU/INES

Mediadora: Profª Ms. Aline Lima da Silveira Lage (DESU/INES)


31 DE AGOSTO

14 h às 17 h

OFICINAS:

1-      MÉTODO CIENTÍFICO NO ESPECIAL: APRENDENDO FAZENDO CIÊNCIA.

COORDENADORAS:

Profª Ms. Ana Claudia da Fonseca Flôres (Cap INES)
Profª Ana Claudia Maciel Salgado (Cap INES)
Profª Roberta Santos Morais Gomes (Cap INES)

Local: Sala 10 - prédio do DESU



2-      CONSTRUINDO O TEXTO MONOGRÁFICO.

COORDENADORA:
Profª Dra. Angela Correa Ferreira Baalbaki (Letras - DESU/INES e UERJ)

Local: Sala 06 - prédio do DESU



3-      INTRODUÇÃO AO LINUX E AO SOFTWARE LIVRE – EDIÇÃO DE VÍDEO POR DISPOSITIVOS MÓVEIS PORTÁTEIS (TICs).

COORDENADOR:
Prof. Ms Carlos Alexandre de Moraes (FEBF - UERJ)

Local: Laboratório de Informática do DESU


4- PSICOMOTRICIDADE: BRINCANDO COM O CORPO E COM AS EMOÇÕES
  
COORDENADORAS:
Profª  Marise Pedalino  (Cap INES)
Profª Ana Regina Griner (Cap INES)

Local: Sala 104 do prédio do DESU


  17 h

 Coffee break
 Local: Pátio Interno do INES

  18 h às 21 h
           
MESA REDONDA: DIÁLOGOS COM PESQUISADORES NA ÁREA DA SURDEZ.

OBJETIVOS

è    Promover o diálogo entre pesquisadores e estudantes interessados na área da surdez;
è    Permitir uma perspectiva interdisciplinar e/ou transdisciplinar do fenômeno da surdez abordado por pesquisadores de diferentes campos de atuação profissional;
è    Possibilitar uma visão panorâmica de estudos recentes sobre a surdez e suas circunstâncias sociais, linguísticas e educacionais, dentre outras.

PALESTRANTES

§         O papel de agentes religiosos na surdez: considerações sobre o processo de constituição da cultura surda
Prof. Dr. César Augusto de Assis Silva (Antropologia - USP)

§         Educação Matemática e surdez: um diálogo necessário
Profª Ms. Maria Dolores Martins da Cunha (Cap - INES)

§         Ementas de LIBRAS nos espaços acadêmicos: que profissionais para qual inclusão?
Profª Ms. Elissandra Lourenço Perse (Rede de ensino municipal de Angra dos Reis)

Mediador: Prof. Dr. Luiz Claudio da Costa Carvalho (DESU/INES)




Comissão Organizadora:

Professores do Departamento de Ensino Superior do INES:

Profª Ms Aline Lima da Silveira Lage
Profª Ms. Danielle Barboza Moura
Profª Edna Gois Lima
Prof. Ms Gil Almeida Felix
Prof. Dr. Luiz Claudio da Costa Carvalho
Profª Ms. Laila Maria Cardoso Zalfa
Profª Ms. Sara Moitinho da Silva
Profª Dra. Yrlla Ribeiro de Oliveira Carneiro da Silva
Profª Dra. Wilma Favorito

REALIZAÇÃO




MINISTERIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS
DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR
CURSO BILÍNGUE DE PEDAGOGIA
Mais informações: