quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

SMAS lança Mulheres da Paz como alternativa de combate ao crack

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) lançou hoje, dia 31, em parceria com o Ministério da Justiça, o programa Mulheres da Paz, que irá formar 1.250 líderes comunitárias para trabalharem com 2.500 jovens em situação de risco, especialmente com aqueles envolvidos com o crack.
De acordo com o secretário Rodrigo Bethlem, o objetivo do programa, além de preparar esses jovens para uma vida livre das drogas, é torná-los agentes multiplicadores na prevenção à dependência química. “Mais uma vez o Rio de Janeiro está dando o exemplo de que somos capazes de fazer a diferença. São mulheres guerreiras e comprometidas em formar um exército da paz, principalmente para atender esses jovens que precisam de apoio para largarem o vício”, observou Bethlem, junto com a subsecretária de Proteção Básica da SMAS, Fátima Nascimento.
Cada mulher será responsável pela busca ativa de dois jovens, entre 15 e 24 anos, comprometidos com as drogas ou que estejam cumprindo medidas sócio-educativas ou penas alternativas, para o caso de maiores de 18 anos. Eles também serão encaminhados para oficinas de formação social e educacional e cursos profissionalizantes oferecidos pela Prefeitura e pelo Governo Federal.

O programa oferece um curso de formação cidadã que abordará temas referentes à ética, direitos humanos, mediação de conflitos e cidadania. Entre os critérios de seleção para as representantes da Paz, estão idade mínima de 18 anos, renda familiar de até dois salários mínimos, capacidade de leitura e escrita e pertencer a uma das 44 comunidades que integra os sete Territórios da Paz das regiões de Acari, Cidade de Deus, Penha, Santa Cruz, Santa Marta, Senador Camará e Vila Kenedy.

Mulheres da Paz é uma ação do PRONASCI (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) e será implementado por meio de convênio da Prefeitura do Rio com o Ministério da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário