Sugestões Literárias

Adoção - Vivências de Parentalidade e Filiação de Adultos Adotados
Mário Lázaro Camargo, 242 pgs. 

A presente obra é o resultado de uma pesquisa considerada inédita no Brasil, contribui para dar maior visibilidade ao fenômeno do exercício de parentalidade de adultos adotados, dando a eles "voz e vez" de manifestação por meio da narrativa(entrevista fenomenológica), e que busca responder a diferentes e importantes perguntas sobre o tema "adoção" e suas complexidades, como a constituição do sujeito da adoção, seu desenvolvimento enquanto vivenciador de experiência do abandono, a relação com a família adotiva, e, finalmente, a parentalidade que exerce quando se torna pai ou mãe.

Ler esta obra pode significar ter que colocar, no mínimo em dúvida, seus conceitos sobre adoção. Assim, o autor convida o leitor a percorrer o caminho de busca pela compreensão deste fenômeno parental, entendido como inclusão de novos atores no cenário das também novas configurações familiares - famílias reconstruídas, adotivas, homossexuais, homoparentais e comunitárias.



Crianças com Necessidades Especiais - Importância da Intervenção Essencial para o Desenvolvimento Emocional e Afetivo
Mafalda Luzia Coelho Madeira da Cruz, Ellen Aparecida dos Reis Santos e Danielle Assis de Souza, 114 pgs. 

O presente livro ressalta a importância da Intervenção Essencial para o desenvolvimento emocional e afetivo das Pessoas com Necessidades Especiais (PNEs), consideradas duplamente especiais. A prática clínica desenvolvida pelas autoras com crianças especiais demonstrou a importância do trabalho conjunto de escuta com os pais, no sentido de diminuir suas angústias e inseguranças, ajudando, assim, no desenvolvimento de seus filhos.

A obra, que evidencia a necessidade de mais estímulos dos potenciais das crianças especiais, proporcionada pela Intervenção Essencial, é instrumento de pesquisa indispensável para pais, professores e demais pessoas que possam, direta ou indiretamente, fazer parte do cotidiano dessas crianças duplamente especiais.



Filiação Socioafetiva e ´Conflitos´ de Paternidade ou Maternidade - A Análise sobre a Desconstituição do Estado Filial pautada no Interesse do Filho
Carmela Salsamendi de Carvalho, 200 pgs. 

A obra aborda a filiação socioafetiva como uma forma de materializar o direito fundamental do estado de filho, examinando seus fundamentos e contornos, bem como a desconstituição do reconhecimento voluntário de filho havido fora do casamento, no entendimento do Superior Tribunal de Justiça, ponderando as razões de seus julgados. Após o necessário resgate histórico do tratamento jurídico brasileiro da família e a compreensão atual do estado de filho na perspectiva civil-constitucional, prossegue-se à construção da filiação socioafetiva a partir de estudos interdisciplinares, do exame da posse de estado de filho, da aplicação de princípios constitucionais, da interpretação das normas infralegais e das jurisprudências.

Adverte-se, porém, para cotejo das três "verdades", posto que cada uma contribui diferentemente à tutela da pessoa, e para a necessidade de buscar o interesse do filho nos "conflitos" de paternidade e maternidade, como acontece nos pleitos de desconstituição do reconhecimento voluntário. Realça-se que a solução pode se estribar em qualquer uma das "verdades", e por que não em duas ou mais, mesmo que cada uma delas seja encontrada em pessoas diferentes, se, do ponto de vista do filho, for o melhor? Ora, o objetivo primordial é promover o direito fundamental ao estado de filho, perante a diversidade de situações filiais da vida, e viabilizar um real Estado Democrático Brasileiro.

                                                                                                                         


Revista da Associação Psicanalítica de Curitiba – Vol. 24 - Abusos de Infância
Responsável por esta edição: Rosane Weber Licth - Colaboradora: Maria Augusta Mendonça Ferraro, 148 pgs. 

Cada campo da cultura toma a criança de forma diversa: como aprendiz - aquela que nada sabe - ou como indefesa - tudo deve ser feito por ela e para ela. A noção de criança que vige no discurso comum é aquela produzida pelos adultos, geradoras de questões conflitantes sobre a responsabilidade que a elas pode ser atribuída. Todos sabemos que pagamos por nossos desejos. Se a criança não paga, é porque o desejo que realiza não é o dela?

Algumas vezes, tudo pode para compensação da história de seus pais, ou para que eles se desobriguem de suas responsabilidades. Essa atitude também pode ser considerada um abuso da infância. Um amplo lugar é dado - de quem tudo pode quando ainda não tem condições para tal - o que parece constituir um abuso: um abuso da infância ao solicitar demais de suas incipientes habilidades, tanto cognitivas quanto subjetivas.

Neste número de APC Em Revista, contamos com textos que tanto colaboram para o maior entendimento dessa questão quanto a problematizam.

Outros volumes da Revista:
Nº 01 - VIOLÊNCIA
Alfredo Jerusalinsky, Leda Fischer Bernardino, Maria Cristina Kupfer, Rodolpho Ruffino, Rosa Marini Mariotto, Rosane Weber Licht, Rute Stein Carvalho, Ricardo Goldenberg.

Nº 02 - FAMÍLIA E MODERNIDADE
Angela do Rio Teixeira, Caterina Koltai, Danièle Epstein, Leda Fischer Bernardino, Marcus do Rio Teixeira, Patrick De Neuter, Contardo Calligaris, Rute Stein Carvalho, Alfredo Jerusalinsky, Maria Cristina Kupfer, Rosane Weber Licht.

Nº 03 - O HOMEM E A TECNOLOGIA
Alfredo Jerusalinsky, Edson André de Sousa, Maria Ida Fontenelle, Martine Lerude, Oscar Cesarotto, Ricardo Goldenberg, Rosa Marini Mariotto, Leda Fischer Bernardino, Rosane Weber Licht, Agostinho Marques Neto, Ivan Corrêa.

Nº 04 - PSICANÁLISE E CLÍNICA DE BEBÊS
Alfredo Jerusalinsky, Claude Boukobza, Cláudia Rohenkohl e Daniella Gonçalves, Daniele Wanderley, Domingos Infante, Leda Fischer Bernardino, Marie-Christine Laznik, Nicole Strickman, Patrick De Neuter, Alexa Chaves, Dayse Amorim e Roseane Lima, Jaqueline Sanson, Marina Fernandes, Henry Frignet.

Nº 05 - ENVELHECIMENTO: UMA PERSPECTIVA PSICANALÍTICA
Alfredo Jerusalinsky, Delia Catullo Goldfarb, Flávia M. de Paula Soares, Leda Fischer Bernardino, Marie-Christine Laznik, Dayse Stoklos Malucelli, Flávia Boni Licht e Adriana de Almeida Prado, Luciana Amaral, Bernadete Hoefel, Rosane Weber Licht.

Nº 06 - PSICANALISAR HOJE
Charles Melman, Enrique Milan, Geselda Baratto, Jean-Jacques Rassial, Leda Fischer Bernardino, Rosa Marini Mariotto, Serge Lesourd, Lucia Marly Verdum de Almeida, Rosane Weber Licht, Denise Pliskieviski Bueno e Juratirz Salete Ribas, Leandro Alves Rodrigues dos Santos.

Nº 07 - O AMOR NOS TEMPOS DA ANÁLISE
Alfredo Jerusalinsky, Andrea Silvana Rossi, Angela Baptista do Rio Teixeira, Eliane Michelini Marraccini, Isidoro Vegh, Jean-Jacques Rassial, Maria Cecilia Garcez, Marie-Christine Laznik, Sándor Ferenczi, Marcus do Rio Teixeira, Wael de Oliveira, Geselda Baratto e Rosane L. V. de Macedo, Leda Mariza Fischer Bernardino, Rosa Maria Marini Mariotto.

Nº 08 - O PSICANALISTA E O ATO
Alfredo Jerusalinsky, Dayse Stoklos Malucelli, Leda Mariza Fischer Bernardino, Maria Aparecida de Luna Pedrosa, Maria Carolina Serafim, Tânia Mara Galeazzi Stoppa e Maria Cristina Kupfer.

Nº 09 - O TOQUE ESCURO DO OBJETO
Clara Cruglak, Dayse Stoklos Malucelli, Eduardo Ribeiro da Fonseca, Frédéric Pellion, Karina Codeço Barone, Wael de Oliveira, Rosa Maria Marini Mariotto, Geselda Baratto e Michele Kamers.

Nº 10 - LENDO E DANDO A LER A PSICOSSOMÁTICA
Andrea de Castro Rôa d'Haese, Bernard Moullé, Márcia Yuri Funabashi, Maria Lúcia Maranhão Bezerra, Wael de Oliveira, Alfredo Jerusalinsky, Marie Christine Laznik, Angela Vorcaro, Julio Cesar Viecelli e Leda Mariza Fischer Bernardino.

Nº 11 - INSCREVER, INTERPRETAR E ESCREVER (ERRADO!!!!)
Cristina Helena Guimarães Sartori, Ilana Katz Zagoury Fragelli, Mauro Mendes Dias, Rosa Maria Marini Mariotto e Rosana Benine, Bernardo Gandulla, Wael de Oliveira, Leandro Alves Rodrigues dos Santos, Maribél de Salles de Melo e Thayane Carolina de Almeida.

Nº 12 - ESCRITOS SOBRE A PSICOSE
Alfredo Jerusalinsky, Angela Vorcaro e Viviane Veras, Camila Zoschke, Dayse Stoklos Malucelli, Eduardo Ribeiro da Fonseca, Mauro Mendes Dias, Marcus do Rio Teixeira, Mayla Di Martino, Sonia Motta e Melania Salete Medeiros.

Nº 13 - PSICANÁLISE E ARTE
Edson de Sousa, Elisabeth Bittencourt, Nelson da Silva Jr., Sérgio Telles, Tânia Rivera, Rosângela Nascimento, Mauro Mendes Dias, Wael de Oliveira, Ângela Vorcaro e Viviane Veras e Andréa D`Haese.

Nº 14 - A FEMINILIDADE NAS DIMENSÕES REAL, SIMBÓLICA E IMAGINÁRIA
Consuelo Muniz Escudero e Leda Mariza Fischer Bernardino, Denise Maurano, Maria Rita Keh, Marie Christine Laznik, Ricardo Goldenberg, Vera Tubino, Denise Stoklos, Leticia Paes de Barros e Leda Mariza Fischer Bernardino, Wael de Oliveira, Rosa Maria Marini Mariotto e Marcelo Oliveira.

Nº 15 - O DESEJO E SUA INTERPRETAÇÃO
Benjamin Domb, Dayse Stoklos Malucelli, Jean Jacques Rassial, Leda Mariza Fischer Bernardino, Patrícia dos Santos Lage, Ricardo Goldenberg, Valéria Ghisi, Eduardo Ribeiro da Fonseca, Wael de Oliveira, Rosa Maria Marini Mariotto.

Nº 16 - O DESEJO: EDIÇÃO COMEMORATIVA DOS 10 ANOS DA APC
Leda Mariza Fischer Bernardino, Lucia Marly Verdum de Almeida, Maria Aparecida Luna Pedrosa, Tânia Maria Galeazzi Stoppa, Wael de Oliveira, Wagner Rengel, Mauro Mendes Dias, Sandra Tellier Motti, Diana Lichtenstein Corso e Mário Corso, e Wagner Rengel.

Nº 17 - ADOLESCÊNCIA
Adriana Kosdra Rotta, Ana Costa, Geselda Baratto, Jean-Jacques Tyszler, Laís Vilela Paquer e Leda Mariza Fischer Bernardino, Maria Augusta de Mendonça Guimarães e Suely do Rocio Kosiak Poitevin, Wael de Oliveira, Márcia Regina Motta, Marina Siqueira Campos e Renata de Siqueira Vieira, Adriana Tobis Fraga Thomasi, Rosa Maria Marini Mariotto e Wael de Oliveira.

Nº 18 - A DROGA DEVIDA
Alfredo Jerusalinsky, Cyro Marcos da Silva, Eduardo Ely Mendes Ribeiro, Jean-Louis Chassaing, Juliana A. Cunha, Renata Aguiar Carrara de Melo e Fernando Teixeira Grossi, Ricardo Goldenberg, Leda Mariza Fischer Bernardino e Rosa Maria Marini Mariotto.

Nº 19 - O RELATO DO ATO
Dominique Touchon Fingermann, Elisabeth Bittencourt, Mauro Mendes Dias, Alfredo Jerusalinsky, Ricardo Goldenberg, Wael de Oliveira, Sérgio Scotti, Dayse Stoklos Malucelli.

Nº 20 - PSICANÁLISE: INVESTIGAÇÃO E PESQUISA
Alfredo Jerusalinsky, Angela Vorcaro, Christian Ingo Lenz Dunker, Lia de Freitas Navegantes, Luciano Elia, Mayla Di Martino, Wael de Oliveira, Leda Mariza Fischer Bernardino e Rosa Maria Marini Mariotto, Valéria Codato Antonio Silva e Viviana Velasco Martinez, Maria Carolina Schaedler.

Nº 21 - A LOUCURA
Edson Luiz André de Sousa, Ricardo Goldenberg, helenice Rodrigues, Gabriela Xavier de Araújo, Jane Cherem Côrte Bexerra, Cristiane Ganzert e Gisleine Massuda, Wael de Oliveira.

Nº 22 - AUTISMO - INTERVENÇÃO, CLÍNICA E PESQUISA
Angela Vorcaro, Claudia Mascarenhas Fernandes, Daniele de Brito Wanderley, Dominique Fingermann, Gabriela Xavier de Araújo, Julieta Jerusalinsky, Leda Mariza Fischer Bernardino, Maria Augusta Mendonça Ferraro, Maria Eugênia Pesaro, Michael Alan Watkins, Mônica Maria Farid Rahme, Nelson da Silva Júnior, Marie Christine Laznik, Rosane Weber Licht, Sonia Mota.

Nº 23 - A CRIANÇA DE CADA DIA
Wael de Oliveira, Andréia Viana, Angela Vorcaro, Angela Baggio Lorenz, Ana Beatriz Albernaz, Alessandra Barbieri, Adela Stoppel de Gueller, Leda Mariza Fischer Bernardino, Maria Angelica Tosi Ferreira, Renata Bakker da Silveira, Rosa Maria Marini Mariotto, Clarice Wichinescki Zotti, Denise Pliskieviski Bueno, Rejinaldo José Chiaradia, Wagner Rengel, Inês Catão, Yara Faria do Amaral, Leandro Alves Rodrigues dos Santos, Madalena Becker de Lima.



A alma encantadora das ruas 

João do Rio.


Escrito durante o governo de Rodrigues Alves, A alma encantadora das ruas, talvez seja o livro mais conhecido de João do Rio. É seu terceiro livro e foi publicado em 1908 revelando um autor que apreendia a psicologia urbana e o espírito da época com a mesma obsessão dos colecionadores. Ele saturava seus textos de reminiscências decadentistas, mas o olhar que fixava no presente era o de um observador deslumbrado, onde vê as novas relações sociais que se desenham no coração daquela seria mais tarde chamada a Cidade Maravilhosa. A obra conta a vida de uma cidade em transformação, na qual coabitam personagens e espaços que, ao mesmo tempo que sobrevivem, já não existem como antes.
http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/resumos_comentarios/a/a_alma_encantadora_das_ruas



Alienação Parental - Uma Interface do Direito e da Psicologia - Prefácio do Prof. Dr. Luiz Edson Fachin

Caroline de Cássia Francisco Buosi, 176 pgs. 



O presente livro conjuga, em análise do contexto social e jurídico, o surgimento da Lei 12.318/2010, conhecida como Lei da Alienação Parental, e apresenta ao leitor um conjunto de características desta síndrome, elencadas pela literatura nacional e internacional: sua origem mediante a implantação de falsas memórias; formas de ação por ele estabelecidas para alcançar o seu objetivo e as consequências para os envolvidos, tais como o tratamento clínico e a situação jurisprudencial de casos concretos no Brasil.

A abordagem do tema se dá à luz do Direito e da Psicologia, haja vista que a interdisciplinaridade nesse caso se faz imprescindível para a compreensão adequada da situação, pois possibilita que a Psicologia traga para o Direito de Família, conceitos que permitem entender como o processo de alienação é realizado pelo sujeito, afetando suas condições psicológicas.